terça-feira, 19 de maio de 2015

SINDICATOS DEFINEM ESTRATÉGIA DE LUTA


 
          Os sindicatos que compõem o movimento unificado dos servidores públicos de Maceió se reuniram na tarde desta Segunda, dia 18/05 para avaliarem a proposta do município a respeito do reajuste salarial e definir os rumos do movimento. O Secretário de organização da CUT, Izaac Jackson apresentou um estudo que a entidade fez que aponta dúvidas a cerca da metodologia que o município usa para estabelecer o cumprimento do percentual da folha de pagamento que a lei de responsabilidade Fiscal exige. Izac ainda aponta dúvidas quanto ao valor da folha de pagamento que segundo a Prefeitura passa dos 68.000.000,00. Segundo diretor da CUT o município tem uma folha bem menor do que apresenta, consequentemente o comprometimento da LRF é bem menor. O valor mensal de R$ 7.546.000,00 de contratação temporária de pessoal é muito alto, alem disso a receita sa Prefeitura no primeiro quadrimestre de 2015 teve um crescimento de aproximadamente 12% em relação a 2014.

          Todos os dirigentes sindicais presentes avaliaram que suas bases rechaçarao o percentual de reajustado apresentado pelo Prefeito. Fernando Cândido, vice presidente do SINDACS ressaltou que mesmo com o compromisso do Prefeito em pagar o retroativo dos padrões dos agentes de 2008 e implantação a partir de junho das insalubridades os agentes certamente rejeitarao os 2,16%. 

          Ficou deliberado que os pontos que unirão as entidades serão o percentual de reajuste e as progressões. As ações do Movimento serão em conjunto, mas as assembléias que definirão greve serão separadas. Devido ao prazo mínimo de publicação de editais de convocação, as assembléias deverão ocorrer simultaneamente na terça, dia 26/05 pela manhã. Os sindicatos assumiram o compromisso de apresentar um parecer jurídico de seus respectivos Advogados sobre a possibilidade de eventual deflagração de greve, por causa da ação que exigiu o retorno imediato dos servidores ao trabalho

sexta-feira, 15 de maio de 2015

PREFEITO ANUNCIA REAJUSTE A SERVIDORES DE MACEIÓ



       O Movimento Unificado dos servidores públicos de Maceió, composto pelos sindicatos: SINDACS, SINDSAUDE SINDSPREF SINDENFERMEIRO SINDNUTRIÇÃO SINDGUARDA SINDODONTOLOGO SINDCOMARPH CUT SINDFARMACEUTICOS E FETAM se reuniu com o Prefeito de Maceió, Ruy Palmeira, na manhã desta sexta (15/05) para debater a pauta da campanha salarial da data base do exercício de 2015. O Chefe do Poder Executivo Municipal anunciou a proposta de reajuste para 2015 de 2,16% (dois vírgula dezesseis por cento), linear para todos os servidores. Ruy ainda afirmou que não tem como se comprometer em pagar as progressões a nenhum servidor. Os sindicatos se reunirão na próxima segunda para debater o rumo do movimento.

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Violência contra os professores do Paraná chama a atenção para o tratamento dado ao setor da educação no país. 

O país e o mundo viram a selvageria deflagrada contra os servidores paranaenses; manifestações de repúdio e indignação se multiplicam contra onda conservadora.




        As cenas registradas no Paraná pelos fotógrafos e transmitidas pelas emissoras de TV de todo o país em 29 de abril deixaram atônitos e cobriram de vergonha a todos nós, brasileiros e trabalhadores, por sua selvageria e covardia contra os professores e demais profissionais da educação daquele Estado, que realizavam um protesto pacífico em frente à Assembleia Legislativa. Um “espetáculo” de horror e crueldade que mostrou a face déspota e truculenta do governador Beto Richa (PSDB) para a mídia brasileira e internacional. Uma ação só vista em sociedades vitimadas por ditaduras ou em processo de guerra civil. Uma ignomínia que mancha de forma contundente a jovem democracia brasileira. 

      Imagens que apresentaram todo o aparato repressivo e autoritário do Estado sendo utilizado contra cidadãos brasileiros que se dedicam cotidianamente à tarefa de educar nossos filhos e filhas. Centenas de policiais do Batalhão de Choque, bombas de gás lacrimogêneo, cachorros da raça pit Bull, gás de pimenta, balas de borracha, caminhões blindados e muita, muita violência. O resultado deste massacre não poderia ser pior: mais de 200 servidores estaduais feridos, alguns deles gravemente. O motivo: os trabalhadores queriam acompanhar a votação de Projeto de Lei do governo do Estado conhecido como “confisco da previdência”, que lhes tira direitos adquiridos historicamente através de muita luta.  Um direito que a Justiça do Estado reiterou com a liberação de uma liminar que permitia o acesso dos manifestantes às galerias da Assembleia Legislativa.

      Mesmo com a autorização dada pelo Judiciário, o governador e o presidente do Legislativo, o também tucano Ademar Traiano, optaram pelo aparato militar e pela intervenção direta e desigual contra os trabalhadores. Desta forma, com total consciência das atitudes que seriam tomadas a partir dali, deram o sinal verde para que suas tropas atacassem os servidores estaduais. Uma postura política violenta, conservadora e retrógrada que ilustra muito bem o modo neoliberal de administrar do governador do Paraná, que desde fevereiro vem tratando com indiferença e desrespeito os professores que aderiram à greve. Uma atitude que só fez reascender nos trabalhadores o brio e a dignidade da luta. Sentimentos que ficaram expressos na Assembleia da categoria realizada no último dia 05, quando 15 mil servidores disseram sim! à manutenção da greve em todo o Estado.
 
     Como entender este tipo de comportamento adotado por um governador em um momento em que as Nações intensificam seus investimentos na área de Educação como um instrumento de humanização, de criação de possibilidades e, principalmente, indutor do desenvolvimento pessoal e econômico de seus cidadãos e de consolidação das suas estruturas socioeconômicas. São manifestações como as do chefe do Executivo paranaense que demonstram claramente a diferenciação entre um projeto de governo conservador e um democrático. A opção pelo primeiro modelo leva a uma negação de direitos e se locupleta com o uso da violência para que os fins desejados sejam alcançados.


Escrito por: Maria Aparecida Faria, Secretária Geral Nacional aAdjunta da CUT – Central Única
 dos Trabalhadores e secretária de Mulheres da CNTSS/CUT – Confederação
 Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social.

quinta-feira, 7 de maio de 2015

REUNIÃO ORDINÁRIA DO SINDACS-AL; SEDE MACEIÓ



             Em uma reunião ordinária realizada no último dia 06 de maio (quarta) o SINDACS - AL aderi campanha nacional pelo reajuste do piso salarial nacional. Os cartazes da campanha serão distribuídos nos municípios. A diretoria da entidade também deliberou o envio de uma delegação de agentes do Estado para a audiência pública que acontecerá em Brasília no dia 17/ 06, data em que a lei do piso completa um ano.

quarta-feira, 6 de maio de 2015

         EDSON RODRIGUES PEREIRA(Edinho), PRESIDENTE DO SINDACS-AL, ANIVERSARIANTE DO MÊS DE MAIO.

segunda-feira, 4 de maio de 2015



SINDACS AL participa de ato da CUT no dia do trabalhador




         Mais de cinco mil trabalhadores e trabalhadoras participaram da manifestação da CUT. A atividade já faz parte do calendário de luta dos trabalhadores. Dessa vez o SINDACS se fez presente com um número maior de participantes e com uma faixa enorme exigimos o cumprimento, por parte dos prefeitos da lei que dispõe sobre o piso salarial nacional. Uma outra faixa o sindicato se posiciona contrário o PL 4330 que regulamenta a terceirização. Foi uma festa muito bonita com participação efetiva da sociedade que mais uma vez aprovou a iniciativa. Uma banda de fanfarra alegrou a festa. "Hoje é um dia de comemoração, reflexão e sobre tudo de cobrança dos direitos da classe trabalhadora e nosso sindicato não poderia deixar de está presente", afirma Fernando Cândido vice presidente do SINDACS.


quarta-feira, 29 de abril de 2015

SINDACS-AL E FENASCE EM AÇÃO EM BRASÍLIA


       O Presidente da FENASCE Federação Nacional dos agentes de endemias e comunitários, Fernando Cândido, acompanhado se alguns diretores se reuniu, hoje pela manhã 29/04, com o Secretário Nacional de Organização da CUT, Jacy Afonso. Pauta: Apoio a campanha Nacional pelo reajuste do piso salarial nacional dos Agentes de Endemias e Comunitários Saúde.